Notícias

Tribunal mantém prisão de ativistas que invadiram gramado na final da Copa do Mundo

Por Agência Estado, 23/07/2018 às 17:00
atualizado em: 23/07/2018 às 17:01

Texto:

A Corte da Cidade de Moscou rejeitou nesta segunda-feira um recurso das ativistas do grupo Pussy Riot que invadiram o gramado do Estádio Luzhniki na final da Copa do Mundo da Rússia, no dia 15 de julho. Elas haviam sido condenadas a 15 dias de prisão, além de serem proibidas a comparecerem a eventos esportivos por três anos. 

"Esta corte decide apoiar a decisão. O recurso não será atendido", declarou o juiz da corte, Serguei Missiura, segundo informações da agência russa TASS. De acordo com o magistrado, Veronika Nikulchina, Olga Kuracheva, Olga Pajtussova e Piotr Versilov foram condenados por "terem violado as regras de comportamento dos espectadores".

Os quatro invadiram o gramado no segundo tempo da final entre França e Croácia. O grupo conseguiu driblar a segurança e invadir o campo para manifestar contra a repressão do Kremlin. Mbappé, estrela da Copa, chegou a fazer uma saudação com uma das integrantes do grupo, antes que elas fossem arrastadas para fora. 

As imagens das garotas vestidas com uniformes policiais foram cortadas pela transmissão oficial da Copa, enquanto o assunto desapareceu das agências de notícia em Moscou. Em um vídeo divulgado nas redes sociais, elas afirmaram que a ação foi uma crítica ao governo russo.

"Tendo em vista que o estado de direito não existe na Rússia e que qualquer policial pode entrar em nossas vidas, a Copa do Mundo mostrou que os policiais sabem se comportar bem", ironizaram as mulheres, em referência ao tratamento que as forças de segurança prestaram aos turistas. 

A invasão aconteceu diante do presidente russo, Vladimir Putin, presente nas tribunas do estádio, ao lado do presidente francês, Emmanuel Macron, e a presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Vereador quer acabar com sirenes em escolas de Belo Horizonte: ‘Vamos colocar uma música light’:… https://t.co/y34eyiz2bD

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Projeto de Lei proíbe todas as instituições de ensino da capital de utilizarem as tradicionais sirenes devido ao incômodo causado nos alunos e nos vizinhos

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não gostou das críticas públicas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro nesse sábado

    Acessar Link